17 de outubro de 2007

Horizontes | 1. Junho

A esta
mesma
hora
em cada
praia

um piano
soluça
de alegria

Tarde
após tarde
cada vez
mais
tarde

nas suas
teclas
brancas
morre
o dia



David Mourão-Ferreira

1 comentário:

Ch disse...

Foi de uma singeleza ímpar este poema de David Mourão-Ferreira.
Andei também lá pelo Hálito, onde me maravilhei com poemas bem guarnecidos pela Arte Suprema de Bouguereau.
Você não perde a mão, minha amiga.
Tudo está muito belo. E continua!
Abraços.
Carlos