12 de agosto de 2007

De partida para outras paragens...



Neil Brennan



Estou de partida para lugares mais calmos, com luas mais brilhantes...
Fiquem bem por cá.
Reencontramo-nos em Setembro!

A almofada do luar




Cai uma folha de Outono
sobre a toalha de linho
e lembra-me a cor do sono
quando as aves fazem ninho.
É uma folha amarela
que empurrada pelo vento
vem colar-se à janela
sob o tecto do relento.
E eu, ao vê-la poisar,
adormeço de repente
na almofada do luar.


poema de Luís Infante
ilustração de Irisz Agocs

O menino, a lua e o limão




Um menino
chamado João
engoliu uma lua
pensando que era um limão.
Não ficou azedo,
mas com o medo
nem percebeu
que tinha uma luz
em segredo
a brilhar no coração.


poema de Luís Infante
ilustração de Irisz Agocs

À entrada desta rua



À entrada desta rua
e à saída desta terra
prometeram-me uma rosa
e eu não vou daqui sem ela.

À entrada desta rua
logo na casa primeira
hei-de escolher uma rosa
sem pôr a mão na roseira.

À entrada desta rua
nascem roseiras aos centos
as brancas são saudades
as vermelhas sentimentos.

À entrada desta rua
eu vou colher nove rosas
três brancas, três amarelas,
três vermelhinhas cheirosas.

À entrada desta rua
dez meninas vi correr
no meio de tanta rosa
algum cravo há-de haver.


poesia popular portuguesa
antologia organizada por Alice Vieira
ilustração de Janice Fried

O almoço dos barqueiros...



Le déjeuner des canotiers
Pierre Auguste Renoir


Ilustração de JT Morrow

8 de agosto de 2007

Ou Isto ou Aquilo

Ou se tem chuva e não se tem sol
ou se tem sol e não se tem chuva!

Ou se calça a luva e não se põe o anel,
ou se põe o anel e não se calça a luva!

Quem sobe nos ares não fica no chão,
quem fica no chão não sobe nos ares.

É uma grande pena que não se possa
estar ao mesmo tempo em dois lugares!


Ou guardo o dinheiro e não compro o doce,
ou compro o doce e gasto o dinheiro.

Ou isto ou aquilo: ou isto ou aquilo . . .
e vivo escolhendo o dia inteiro!

Não sei se brinco, não sei se estudo,
se saio correndo ou fico tranquilo.

Mas não consegui entender ainda
qual é melhor: se é isto ou aquilo.


Cecília Meireles

Colar de Carolina

Com seu colar de coral,
Carolina
corre por entre as colunas
da colina.

O colar de Carolina
colore o colo de cal,
torna corada a menina.

E o sol, vendo aquela cor
do colar de Carolina,
põe coroas de coral
nas colunas da colina.


Cecília Meireles

6 de agosto de 2007

O hibisco



Cansado de servir de modelo
a uma legião de pintores,
transformou as antenas num pincel,
e na falta de guaches e de papel,
pincela com pólen amarelo
a cabeça dos beija-flores!


poema de Jorge Sousa Braga
ilustração de Lesley Wolf

5 de agosto de 2007

Um domingo à tarde...



Un dimanche après-midi à l'Ile de la Grande Jatte
Georges Seurat




ilustração de JT Morrow inspirada no original de Seurat