29 de março de 2007

Uma lágrima no mar



Uma lágrima
caiu no mar
e veio uma onda
para a abraçar.
Sal com sal
torna mais amargo
o grande areal.
Quem quiser chorar,
que o faça ao luar.
Uma lágrima salgada
é uma espécie de peixe
que não chora
nem nada.


poema de Luís Infante
ilustração de Janice Fried

27 de março de 2007

Family tree



Tracy Walker

Memória

Amar o perdido
deixa confundido
este coração.

Nada pode o olvido
contra o sem sentido
apelo do Não.

As coisas tangíveis
tornam-se insensíveis
à palma da mão.

Mas as coisas findas,
muito mais que lindas,
essas ficarão.


Carlos Drummond de Andrade

21 de março de 2007

Hoje é dia de festa...da primavera e da poesia!



O girassol
Passa a vida a olhar pró sol!
Segue o sol pra todo o lado!
Tivesse olhos o girassol,
ou usava óculos de sol,
ou já teria cegado.

O nenúfar
A flor do nenúfar
vai mudando de cor,
consoante a hora do dia.
É branca pela manhã,
cor-de-rosa ao meio-dia!

O cogumelo
Por que é que o cogumelo,
nunca tira o chapéu?
É porque não tem cabelo,
ou será porque tem medo,
que lhe caia em cima o céu?

A orquídea
A orquídea
parece um manequim.
Só veste peças únicas,
feitas por medida,
de seda ou de cetim.

O malmequer
Quem poderia supor
que o malmequer,
embora pareça,
não é uma flor,
mas um exército delas,
com generais, tenentes,
soldados
e sentinelas!


poemas de Jorge Sousa Braga
ilustração "Daisies" de Phil

15 de março de 2007

Precious memories



Betsy Everitt

A pressa do tempo

Guardei o tempo num saco
feito de linho e cetim
para ele, que é apressado,
passar sem pressa por mim.
Pendurei-o num ponteiro
de um relógio de parede
onde morava um cuco
que estava cheio de sede.
E disse-me o tempo assim:
"Não é por me prenderes
que corres mais do que eu,
aquele que há-de ganhar-me
ainda não nasceu".

Luís Infante

9 de março de 2007

Pela noite doce e perfumada

Pela noite doce e perfumada
chega encantada a Primavera,
e segue mansinho pelo caminho
das lanternas iluminadas.

Sopra no ar as cores do mundo,
aromas de terras distantes,
e segue mansinho pelo caminho
das lanternas iluminadas.



Escuta no rio adormecido
a voz materna do luar,
e segue mansinho pelo caminho
das lanternas iluminadas.



Em cada mão deixa uma semente
que se entrega ao coração,
e segue mansinho pelo caminho
das lanternas iluminadas.



Ana Isabel
pinturas de Zhu Yiyong

7 de março de 2007



Sun Xiao Li

Sei um ninho

Sei um ninho.
E o ninho tem um ovo.
E o ovo, redondinho,
Tem lá dentro um passarinho
Novo.

Mas escusam de me atentar:
Nem o tiro, nem o ensino.
Quero ser um bom menino
E guardar
Este segredo comigo.
E ter depois um amigo
Que faça o pino
A voar...

Miguel Torga

6 de março de 2007

Basta uma flor



Basta uma flor,
basta uma asa
para saber que a primavera
entrou em nossa casa.

poema de Albano Martins
ilustração "Garden birds" de Betsy Everitt

2 de março de 2007

Despertar


É um pássaro, é uma rosa,
é o mar que me acorda?
Pássaro ou rosa ou mar,
tudo é ardor, tudo é amor.
Acordar é ser rosa na rosa,
canto na ave, água no mar.


poema de Eugénio de Andrade
ilustração "Red bird" de Tracy Walker

Ausência



Num deserto sem água
Numa noite sem lua
Num país sem nome
Ou numa terra nua

Por maior que seja o desespero
Nenhuma ausência é mais funda do que a tua.


poema de Sophia de Mello Breyner Andresen
ilustração "Scent Memory" de Andrea Cobb