26 de abril de 2007

Sê paciente



Sê paciente; espera
que a palavra amadureça
e se desprenda como um fruto
ao passar o vento que a mereça.


poema de Eugénio de Andrade
ilustração "Apple" de Janice Fried

24 de abril de 2007

No mistério do Sem-Fim


No mistério do Sem-Fim,
equilibra-se um planeta.

E, no planeta, um jardim,
e, no jardim, um canteiro;
no canteiro, uma violeta,
e, sobre ela, o dia inteiro,

entre o planeta e o Sem-Fim,
a asa de uma borboleta.




poema de Cecília Meireles
ilustrações "Garden hide and seek" e "Garden girl" de Maria Carluccio

23 de abril de 2007

Outra Margem

E com um búzio nos olhos claros
Vinham do cais, da outra margem
Vinham do campo e da cidade
Qual a canção? Qual a viagem?

Vinham p'ra escola. Que desejavam?
De face suja, iluminada?
Traziam sonhos e pesadelos.
Eram a noite e a madrugada.

Vinham sozinhos com o seu destino.
Ali chegavam. Ali estavam.
Eram já velhos? Eram meninos?
Vinham p'ra escola. O que esperavam?

Vinham de longe. Vinham sozinhos.
Lá da planície. Lá da cidade.
Das casas pobres. Dos bairros tristes.
Vinham p'ra escola: a novidade

E com uma estrela na mão direita
E olhos grandes e voz macia
Ali chegavam para aprender
O sonho a vida a poesia

Vinham de longe. Vinham sozinhos.
Lá da planície. Lá da cidade.
Ali chegavam para aprender
O sonho a vida a poesia


Matilde Rosa Araújo
(poema musicado e interpretado pelos Trovante, retirado do blog Poesia distribuída na rua. )

11 de abril de 2007

Canção da flor da pimenta








A flor da pimenta é uma pequena estrela,
fina e branca,
a flor da pimenta.

Frutinhas de fogo vêm depois da festa
das estrelas.
Frutinhas de fogo.

Uns coraçõezinhos, áureos, rubros
muito ardentes.
Uns coraçõezinhos.

E as pequenas flores tão sem firmamento
jazem longe.
As pequenas flores...

Mudaram-se em farpas, sementes de fogo
tão pungentes!
Mudaram-se em farpas.

Novas se abrirão,
leves,
brancas,
puras,
deste fogo,muitas estrelinhas...


poema de Cecília Meireles
ilustrações de Alê Abreu