Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

Mind Traveler

Rafael Lopez
Mensagens recentes

Ler doce ler (excertos)

Os livros são casas com meninos dentro e gostam de os ouvir rir, de os ver sonhar e de abrirem de par em par as paisagens e as imagens para eles, lendo, poderem sonhar.
Os livros gostam de se deitar nas almofadas dos meninos partilhando o seu sono quando eles são pequeninos e de ir com eles para escola misturados com os cadernos e com os beijos dos pais, sempre quentes, sempre ternos.
Os livros gostam de ser amados, de ser lidos e lembrados e de crescer com os meninos com que foram embalados. Os livros têm um sonho: o de ver outros livros nascer para que a paixão da leitura não possa nunca morrer.
José Jorge Letria

San Francisco

Kailey Whitman

When Christmas Comes To Town | The Polar Express

Joana e a Tartaruga

Dona Tartaruga
seja boazinha
estique a cabecinha
lá da carapaça
e diga a quem passa 
quantos anos tem.
É que ouvi dizer
que tem mais de cem!

Quer saber quem sou?!

Eu sou a Joana.
E tenho um irmão.
Sou muito pequena;
só tenho seis anos...
Mas já sei fazer
bolas de sabão!

Se eu ando na escola?!

Claro que sim!
Sei a tabuada
melhor que ninguém...
Agora responda
seja boazinha
estique a cabecinha
lá da carapaça
e diga a quem passa
quantos anos tem!

Porque é que pergunto?!

Pois bem
para saber!
É que há muita coisa
que eu ainda não sei.
Que eu ainda não sei
mas que hei-de aprender!

Se gosto de bichos?!

Não hei-de gostar?
Tenho um Periquito
um Grilo Grilão
um Galo-da-Índia
três Pombos-Correios
um Gato e um Cão!

Mas vamos
responda!

Não seja mázinha
nem faça pirraça!
Estique a cabecinha
lá da carapaça
e diga à Joana
quantos anos tem.

É mesmo verdade
que tem mais de cem?!
Soledade Martinho Costa

querem ouvir uma história?

Christian Schloe

Fur

Bill Gekas

Gato que brincas na rua

Gato que brincas na rua
Como se fosse na cama,
Invejo a sorte que é tua
Porque nem sorte se chama.
Bom servo das leis fatais
Que regem pedras e gentes,
Que tens instintos gerais
E sentes só o que sentes.
És feliz porque és assim,
Todo o nada que és é teu.
Eu vejo-me e estou sem mim,
Conheço-me e não sou eu.
Fernando Pessoa