3 de julho de 2007

O vento



Por mais que tente, o vento
não consegue adormecer
se não tiver nada para ler.
Seja uma folha de tília,
de bambu ou buganvília.

É por isso que o vento
arrasta as folhas consigo,
até encontrar um abrigo,
onde possa adormecer.
- arrastou até a folha,
onde eu estava a escrever!





poema de Jorge Sousa Braga
ilustração "Branches on Turquoise" de Jill Merriam

3 comentários:

paulo disse...

... belo este teu espaço, arte a cada canto!! são coisas assim, de cantar e sorrir, de se viver e sentir... e cá me delicio!! descobertas!!

belo blog!!

^^

paulo

paulo disse...

... sim, claro, como não!? pode postar os poemas sim!! [autorização dada!! rsss] ^^

quais são teus outros blogs? [curioso cá estou]

beijos tantos!!

CH disse...

soaram-me belos os poemas de Jorge Sousa Braga...
gratíssima surpresa, diria.
um abraço, Ana.
Ch