12 de agosto de 2007

À entrada desta rua



À entrada desta rua
e à saída desta terra
prometeram-me uma rosa
e eu não vou daqui sem ela.

À entrada desta rua
logo na casa primeira
hei-de escolher uma rosa
sem pôr a mão na roseira.

À entrada desta rua
nascem roseiras aos centos
as brancas são saudades
as vermelhas sentimentos.

À entrada desta rua
eu vou colher nove rosas
três brancas, três amarelas,
três vermelhinhas cheirosas.

À entrada desta rua
dez meninas vi correr
no meio de tanta rosa
algum cravo há-de haver.


poesia popular portuguesa
antologia organizada por Alice Vieira
ilustração de Janice Fried

Sem comentários: