5 de maio de 2007

Uma formiga



Uma formiga de dezoito metros
Com um chapéu na mão
Não existe não existe não

Uma formiga puxando um camião
Cheio de pinguins e de patos
Não existe não existe não

Uma formiga falando francês
Falando latim e javanês
Não existe não existe não

E já agora por que não?


poema de Jorge Sousa Braga
ilustração de Cristina Valadas

Sem comentários: