25 de junho de 2008

Quando crescemos cabemos numa parte...

Quando algo é realmente grande cabe em cada parte
O jardim cabe na flor, o sol no quartinho escuro
A lua cabe no lago, e o azul cabe no teu peito
Cada parte de nós cabe naquele único abraço
E cada poesia cabe na emoção do leitor que a lê
Há um universo inteiro voando numa gaivota
Toda a energia, cabe num átomo, num pulsar

Porque quando algo é realmente grande cabe
sempre no começo, porque não tem fim...
A gente parte, a gente parece que retorna,
Mas há que se repartir muito para voltar inteiro
Eu vejo a foto do menino que eras e bem sei...
Foste pequeno, mas tua grandeza já cabia em ti.



Carol Timm

4 comentários:

Carol Timm disse...

Ana Isabel,

Que grande surpresa boa me achar aqui!

Não caibo em mim de alegria!

Obrigada pelo carinho...

Beijos,
Carol

Marilac disse...

Ana Isabel,

Que alegria reler esse lindo poema aqui!
Nossa amiga Carol tem mesmo muita sensibilidade!
Amo de modo especial estes versos:
"Eu vejo a foto do menino que eras e bem sei...
Foste pequeno, mas tua grandeza já cabia em ti."

Traduz bem a emoção que senti ao ver um video do Manuel criança.

Bjs
Marilac

delfs disse...

Olá, adorei o seu blog, virei vistálo mais vezes!!
um beijinho e um sorriso!!

batista disse...

quanta sensibilidade nesse sítio!

deixo um abraço fraterno.